Google+ Followers

Google+ Followers

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Organic Food Fest

O  Organic Food Fest está acontecendo em todo o Brasil desde o dia 8 desse mês e termina esse fim de semana. O objetivo é incentivar o uso de comidas orgânicas na alta gastronomia do país. São cerca de 100 restaurantes envolvidos com pratos tabelados. As refeições proporcionam uma experiência gastronômica sustentável e ao mesmo tempo saborosa.

Consulte www.organicfoodfest.com.br

A Korin é uma das maiores empresas de alimentos sustentáveis e orgânicos do Brasil e está patrocinando o evento junto a outros fornecedores. O almoço orgânico está com preço fixo de R$49,00. Já o jantar, sai por 59,00. Na capital paulista e carioca, por exemplo, 40 restaurantes fazem parte do evento.

Os chefs de cozinha participantes do evento estão utilizando nos pratos diversos produtos da Korin como frangos e ovos de galinha livres de antibióticos, frangos orgânicos, carne bovina sustentável e ainda a carne bovina orgânica, grande lançamento da companhia paulista que segue uma filosofia vinda do Japão: a Agricultura Natural, preconizada pelo pensador e espiritualista japonês, Mokiti Okada (1882-1955).


Além de poder degustar pratos com os produtos da marca, o consumidor encontra informações sobre a empresa na cartilha de compras de orgânicos, produzida pela organização do evento, destinada a restaurantes e consumidores finais.

Fonte: ciorganicos.com.br

sexta-feira, 3 de junho de 2016

STF x Transgênicos



Existem regulamentos governamentais determinando que produtos que contenham ingredientes transgênicos devem informar na rotulagem sobre a presença desses Organismos Geneticamente Modificados.

Isso se refere ao direito de informação sobre o que se está consumindo.

Acontece que a Bancada Ruralista no Congresso Nacional, vem tentando de todo jeito emplacar Projetos de Lei que desobriguem as empresas produtoras de alimentos a se submeterem a essa obrigatoriedade.

De um lado as empresas entendem que o “ T “ dentro do triângulo amarelo que identifica a presença de transgênicos é um obstáculo para as vendas, e, de outro lado, os defensores dos direitos e garantias individuais previstos na constituição, lutam para que essa informação esteja presente nos alimentos com OGM.

O caso foi parar no Supremo Tribunal Federal, que, para nosso alívio, concluiu que a presença de transgênicos nos alimentos deve ser identificada, por tratar-se de direito do consumidor, diga-se, direito alinhado com a constituição federal.

Desta forma, quando for comprar alimentos, principalmente, a base de milho ou soja, verifique o rótulo ou informe-se junto ao fabricante se esse produto contem ingredientes transgênicos, tendo em vista que boa parte da soja e milho produzidos no Brasil são de origem transigência, bem como boa parte dos alimentos como biscoitos, farinhas, pães e etc., podem conter esses ingredientes.


Fique de Olho !!!

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Gordura Trans

      

A gordura trans ou gordura vegetal hidrogenada é uma espécie de gordura obtida por processo químico, utilizada principalmente na fabricação de biscoitos, sorvetes e chocolate.

Não é uma gordura encontrada na natureza, é criada por processo químico.





A Organização Mundial da Saúde vem recomendando a não utilização dessa substância nos alimentos devido às ameaças à saúde humana, sobretudo problema cardiovasculares.

Esse produto já foi banido em vários países como Dinamarca, Suiça e Estados Unidos, onde o produto deve ser banido até 2018 segundo a lei atual de lá.

Nesse sentido, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) vem tentando regular o uso desse tipo de gordura, mas, os avanços são pequenos porque a indústria brasileira continua usando essa gordura indiscriminadamente, pouco se importando com os efeitos maléficos para a saúde dos consumidores.

Experimenta ler o rótulo do biscoito que você compra para seu filho …” 

Por isso, Uma frente de trabalho junto ao Congresso Nacional vem trabalhando para eliminar essa substância dos alimentos no Brasil e você pode participar através do link abaixo:



O IDEC (Instituo de Defesa do Consumidor) está participando dessa discussão e precisa de todo apoio para que possamos vencer essa batalha.  Faça parte dessa frente !!!

Consumindo Orgânicos

Fonte: IDEC e ANVISA

segunda-feira, 21 de março de 2016

Brasil Saudável e Sustentável






       O governo federal em parceria com organizações sociais e o setor privado lançou no último dia 15 a campanha Brasil Saudável e Sustentável, no Rio de Janeiro.

O objetivo da campanha é alertar para os riscos da má alimentação e trazer iniciativas para uma alimentação saudável. Vão haver ações visando divulgar informações, projetos junto a rede pública relativos à saúde, educação e assistência social, bem como para  aproximar o produtor do consumidor.

Desde 2014 o Brasil deixou de figurar no mapa mundial da fome da ONU e agora o passo seguinte é difundir uma alimentação mais saudável para a população.

Uma das primeira iniciativas já está em vigor: O IDEC (Instituto de Defesa do Consumidor), ao comemorar o dia do consumidor em 15/03/3016, lançou um aplicativo através do qual a pessoa pode buscar alimentos orgânicos e agroecológicos disponíveis em feiras mais próximas de onde se está consultando.

Consulte o website do idec ou www.feirasorganicas.org.br e busque por uma alimentação mais saudável para você e sua família.

Lembre-se de que iniciativas como essas são pensadas, preparadas e colocadas em prática para que a sociedade melhore sua qualidade de vida, portanto, não deixe de usar o aplicativo e interagir com a plataforma, pois, assim, você estará se beneficiando dos resultados e fortalecendo a união e a participação no movimento agroecológico neste importante projeto social para nosso país.




Acesse o site e conheça a campanha: http://brasilsaudavelesustentavel.gov.br/

terça-feira, 15 de março de 2016

Carne Orgânica e Sustentável

Boas Novas no Mundo Orgânico


Chegou a carne orgânica !!!  

A partir de abril de 2016 a Korin está lançando a carne orgânica.  

Desde 1994 a empresa Korin Agropecuária produz frangos sustentáveis e orgânicos, além de artigos de mercearia orgânicos como arroz, feijão, mel, ovos e outros ítens. 

Recentemente lançou a carne sustentável oriunda de novilhas do Pantanal do Mato Grosso, e, agora, vem a novidade da carne orgânica oriunda do mesmo local. Tem alcatra, coxão, lagarto, músculo, picanha, enfim, muitos cortes bovinos.

A diferença básica entre a carne sustentável e a carne orgânica é a ração. Na verdade, os animais tem manejo parecido na produção, mas, a alimentação das novilhas orgânicas é baseada em ração com ingredientes orgânicos, além de cumprirem outras exigências legais que permitem uso do selo orgânico governamental no produto.

A diferença na qualidade se pode sentir ao saborear essa carne sustentável e a orgânica, afinal, produtos cultivados e produzidos sem o uso de hormônios, antibióticos e química, podem ser muito mais saborosos e saudáveis.

Agora vamos a uma outra boa notícia!!!

O mundo dos produtores de alimentos está cada vez mais convencido de que a utilização de antibióticos e produtos químicos no cultivo e produção de alimentos pode levar a uma grave crise de resistência a bactérias pelo corpo humano.

Por isso, a rede Mac Donald´s está desenvolvendo estudos para passar a comprar carne para seus hamburgueres, somente de produtores que produzem sem o uso de antibióticos. A empresa estima que em dois anos a carne que utiliza seja um produto mais sustentável e que não possa gerar risco á saúde humana. A empresa Korin foi procurada pelo Mac Donald's para conhecer os produtos orgânicos e sustentáveis de sua linha. 

Quem sabe, carne de hambúrguer mais saudável no futuro!!!

São ótimas notícias para o mundo sustentável e orgânico. Por isso, aproveita essas dicas para você também mudar seu hábito de consumo e procurar produtos alimentícios isentos de química. Seu corpo vai sentir a diferença.




sábado, 27 de fevereiro de 2016

Produtos Impróprios


Essa semana a Fiscalização Sanitária atuou junto a diversos supermercados no Rio de Janeiro e foram encontrados muitos produtos impróprios para o consumo humano, gerando interdições, descarte de produtos e fechamento de lojas.

O produto é considerado impróprio quando não está em condição de consumo, quando a data de validade está vencida, entre outros fatores.

No caso, em um determinado mercado, foram encontrados vários quilos de carne com validade vencida e estocadas de forma irregular. Não fosse a ação da Vigilância Sanitária talvez esse produto fosse colocado à venda para os consumidores. 

Aí você consome um alimento, sofre aquela “dor de barriga” e nem sabe o porque !

Pois bem, para evitar esse tipo de problema, vamos dar algumas dicas:

1. Não pense que a Vigilância Sanitária consegue fiscalizar todos os mercados do país diariamente, semanalmente ou mensalmente.  As ações da Vigilância ocorrem mediante denúncia ou pontualmente conforme a necessidade. Por isso, você é o melhor fiscal do dia a dia !

2. Produtos embalados devem apresentar a data de validade no rótulo, bem como informações sobre o fornecedor, o preparo do alimento, forma de acondicionamento (temperatura etc.) e etc.. Leia os rótulos, principalmente de produtos resfriados ou congelados!

3. Produtos a granel, expostos em gôndolas ou nos açougues, devem informar sobre o produto, a sua procedência (fornecedor) e a data de validade, entre outras informações obrigatórias. Leia essas informações e se não estiverem expostas, solicite ao gerente do estabelecimento que informe. Ele é obrigado por lei a expor isso !

4. Se você identificar algum alimento com aparência escura, com temperatura inadequada, que deveria estar congelado mas está apenas fresco, entre outras situações inadequadas, reclame com o gerente do estabelecimento e peça retirada do local de venda. Faça a sua parte ! 

5. Hoje a Internet é o melhor canal para descobrimos se uma loja ou produto é considerado bom, se existe reclamação sobre ele e muitas outras informações. O próprio website da ANVISA informa sobre produtos impróprios. Consulte. Afinal, é a sua saúde !



Entre para o time dos consumidores conscientes e responsáveis, afinal nós e que fazemos o país onde queremos viver. Faça a sua parte, fiscalize !